image_pdfimage_print

Esta quarta-feira (30) marcou a inauguração oficial do Voyager Escape, o primeiro escape room em realidade virtual (VR) do Brasil. Se você já experimentou um, sabe que o principal objetivo é escapar do local, como o nome bem sugere; para isso, você precisa resolver enigmas e desvendar os segredos da sala com alguns amigos. Tudo isso dentro de um tempo estabelecido. O diferencial aqui, porém, é que, desta vez, isso precisa ser feito em realidade virtual.

A atração foi montada no Morumbi Town Shopping, na Vila Andrade, em São Paulo, pela Voyager, um centro de entretenimento em VR do estúdio ARVORE que. Em parceria com a Ubisoft, o centro montou toda uma experiência baseada em Assassin’s Creed: Origins intitulada intitulado Escape The Lost Pyramid. Todo o conteúdo, inclusive, foi desenvolvido pela produtora francesa.

O Canaltech foi convidado para testar o escape room em RV juntamente de outros membros da imprensa especializada. Experimentamos o game em um total de quatro jogadores, o máximo comportado em um dos dois espaços que oferece a experiência Escape The Lost Pyramid. O tempo total para resolvermos os enigmas era de 45 minutos.

Escape The Lost Pyramid oferece uma proposta muito interessante e que realmente exige trabalho em equipe. E, apesar de cada um dos jogadores literalmente ficar em seu próprio quadrado e interagir com os objetos do espaço virtual através de controles HTC Vive, além de conversarem uns com os outros via headset, a jogatina flui bem e é bastante prazeroso descobrir o que precisa ser feito.O espaço para jogar Escape the Lost Pyramid comporta até 4 pessoas. (Imagem: Victor Ribeiro/Ubisoft)

Para completar o traje da experiência em realidade virtual, além do headset e de controles, há ainda uma mochila MSI modelo VR One com sensores de detecção que permite uma representação de corpo inteiro dos jogadores dentro do jogo, ainda que estejam camuflados sob skins de personagens personalizáveis. Quando testamos, havia quatro avatares disponíveis, mas podíamos equipá-los com mochilas, capacetes e outros acessórios que não influenciam na jogatina.

Vale apontar, inclusive, que Escape The Lost Pyramids conta com uma história de fundo para situar as pessoas: a trama começa em fevereiro de 1928, quando uma equipe de exploradores desaparece na Península do Sinai enquanto tentava chegar Pirâmide Perdida de Nebka. Pulando para a atualidade, os jogadores poderão acessar as memórias de seus antepassados através da máquina Animus e reviver as aventuras do grupo desaparecido, além de ter a chance descobrir a localização de um valioso artefato.(Imagem: Divulgação/Ubisoft)

A cada enigma desvendado dentro do ambiente virtual, os personagens avançam para as próximas salas automaticamente e precisam, novamente, entender e resolver os mistérios da pirâmide até chegarem ao topo e conseguirem o tesouro escondido. Obviamente não vamos contar as resoluções dos quebra-cabeças, mas lembre-se: trabalho em equipe é primordial.

A Voyager afirma que a atração é indicada para pessoas a partir de dez anos e os dois espaços que comportam o Escape The Lost Pyramid permitem 2 ou 4 jogadores de uma vez. A sessão de até uma hora de duração custa R$ 84,99 e a loja funciona de segunda a sábado das 10h s 22h, e nos domingos das 11h s 22h.(Imagem: Divulgação/Ubisoft)

Antes de iniciarem as sessões, os times ou duplas recebem orientações sobre como usar os equipamentos, além de entenderem a narrativa da experiência. Então, mesmo que você não conheça Assassin’s Creed, poderá se divertir com seus amigos e interagir no escape room em realidade virtual. Para quem já está familiarizado com a franquia da Ubisoft, porém, haverá diversas referências que os jogadores certamente vão entender.

(Ler na fonte)


×
CREATE ACCOUNT ALREADY HAVE AN ACCOUNT?

 
×
Recuperar as informações de acesso?
×

Go up

Pular para a barra de ferramentas