image_pdfimage_print

O World Wide Web Consortium (W3C) anunciou nesta segunda-feira (4) que o Web Authentication API (WebAuthn) se tornou um padrão oficial da internet. O recurso permite que usuários realizem login em sites com biometria, chaves de segurança ou aparelhos eletrônicos, dispensando a digitação da senha.

A tecnologia foi criada pelo W3C e pela FIDO Alliance e começou a ser divulgada ainda em novembro de 2015. Apesar das nomenclaturas complicadas, você provavelmente é adepto ao recurso, comum em sites da Google, Airbnb, Alibaba, Apple, IBM, Intel, Microsoft, Mozilla e PayPal.

O WebAuthn também é suportado pelo Android e Windows 10. Desde dezembro, a Apple também passou a incluir o recurso em versões do navegador Safari.

Adeus, senhas! 

O WebAuthn também está disponível em sites como o Dropbox, Facebook, GitHub e Twitter. Agora que é um padrão oficial, a expectativa é de que outros sites passem a utilizar o recurso.

"Agora é a hora de serviços e empresas adotarem o WebAuthn para ir além das senhas vulneráveis e ajudar os usuários a melhorarem a segurança de suas experiências online", disse o CEO do W3C, Jeff Jaffe, em comunicado.

A FIDO não quer acabar com as senhas apenas na internet. Há anos a empresa trabalha para reduzir a dependência de senhas, modernizando a autentificação de pessoas.

"É de conhecimento comum que as senhas não são mais eficazes. Além de serem roubadas ou fracas, elas também são um desperdício de tempo e recursos. De acordo com um recente estudo da Yubico, os usuários gastam 10,9 horas por ano digitando ou redefinindo senhas, o que custa s empresas uma média de US$ 5,2 milhões por ano", afirmou a parceria em comunicado.

As duas entidades completam dizendo que os códigos por SMS representam uma camada adicional de segurança, mas ainda são vulneráveis a ataques de phishing.

Conheça mais da tecnologia neste vídeo em inglês:

(Ler na fonte)


×
CREATE ACCOUNT ALREADY HAVE AN ACCOUNT?

 
×
Recuperar as informações de acesso?
×

Go up

Pular para a barra de ferramentas