image_pdfimage_print

A Intel anunciou, por meio de um comunicado imprensa, que deixará o setor de desenvolvimento de modems 5G para smartphones. A longínqua fornecedora da Apple e seus iPhones justificou a decisão dizendo que não enxerga rentabilidade sólida o suficiente para que se mantenha neste mercado de produção, mas que continuará desenvolvendo chips 4G e 5G para laptops e desktops, bem como no setor de infraestrutura da rede 5G.

“Nós estamos muito empolgados com as oportunidades do 5G e a ‘cloudificação’ da rede, mas, no setor de smartphones, tornou-se evidente que não há um caminho claro de rentabilidade e retornos positivosâ€, disse o CEO da Intel, Bob Swan. “O 5G continua a ser uma prioridade estratégica para a Intel, e nossa equipe desenvolveu um valioso portfólio de produtos sem fio e propriedades intelectuais. Estamos avaliando as nossas opções para compreender o valor do que criamos, incluindo as oportunidades em uma ampla variedade de plataformas centralizadas em dados e dispositivos para o mundo 5Gâ€.Intel tem um modem 5G em produção, mas optou por deixar o mercado após acordo judicial que trouxe a Qualcomm de volta ao fornecimento de materiais para a Apple

A saída comunicada pela Intel vem nos calcanhares do anúncio de que Apple e Qualcomm chegaram a um acordo e deram fim aos seus conflitos judiciais que já duravam dois anos. Mais além, o acordo também prevê o retorno da Qualcomm como fornecedora de chipsets para os futuros dispositivos da Apple. A situação foi benéfica a ambas as empresas pois o acordo prevê o pagamento de parte dos royalties exigidos pela Qualcomm, ao mesmo tempo em que a Apple consegue um fornecedor de modems 5G — antes disso, a empresa corria o risco de ficar para atrás na entrada da nova conexão, lançando um iPhone com capacidades 5G apenas em 2021.


Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.

A Intel era a fornecedora de modems da Apple desde 2016, quando a Maçã lançou no mercado o iPhone 7. As encomendas aumentaram em demanda época do lançamento dos iPhone 8, iPhone 8 Plus e iPhone X e, em 2018, quando a Apple virou as costas em definitivo para a Qualcomm, a Intel também cuidou dos chips na produção do iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max. Recentemente, porém, relatos não confirmados diziam que a fabricante dos smartphones havia perdido confiança na capacidade de produção da empresa californiana.

Com o retorno da Qualcomm no fornecimento — e de quebra, já trazendo chips 5G bem avaliados no mercado —, a Intel deve ter percebido que o desenvolvimento de seu chip (modelo XMM 8160, programado para o segundo semestre deste ano) não era mais uma prioridade.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

(Ler na fonte)


×
CREATE ACCOUNT ALREADY HAVE AN ACCOUNT?

 
×
Recuperar as informações de acesso?
×

Go up

Pular para a barra de ferramentas